Inteligência Artificial

A relação inteligência artificial e saúde mental: especialistas apontam oportunidades e riscos

O avanço da inteligência artificial traz consigo um potencial imenso para melhorar as nossas vidas, mas também levanta questões importantes sobre ética, privacidade e igualdade. Nesse contexto, surgem diversas dúvidas em relação ao impacto que as novas tecnologias podem ter sobre a saúde mental de cada indivíduo. 

Para discutir o tema, no entanto, é preciso definir, primeiro, o que é “inteligência artificial”, ou IA. O programador, tech influencer e empreendedor Bendev Juniorexplica que a IA é uma área da ciência da computação que se concentra no desenvolvimento de sistemas e algoritmos capazes de realizar tarefas que, tradicionalmente, exigiriam inteligência humana. 

“Isso inclui reconhecimento de padrões, aprendizado de máquina, processamento de linguagem natural e muito mais. Em suma, a IA permite que os computadores ajam de forma inteligente, aprendendo com dados e experiências para tomar decisões informadas”, diz ele.

O especialista também destaca que a inteligência artificial está rapidamente se integrando em nossas vidas diárias de maneiras que muitos de nós nem percebemos. “Desde assistentes virtuais em nossos smartphones até algoritmos que personalizam nossas experiências online, a IA já está transformando a maneira como interagimos com a tecnologia e com o mundo ao nosso redor”, afirma. “No futuro, podemos esperar que a IA desempenhe um papel ainda mais central em áreas como transporte autônomo, cuidados de saúde personalizados, assistência domiciliar inteligente e muito mais”. 

Os exemplos de impactos da IA no nosso cotidiano, como cita Bendev Júnior, já são muitos. Assistentes virtuais como Siri, Alexa e Google Assistant estão se tornando parte integrante de nossas casas, facilitando tarefas do dia a dia e fornecendo informações úteis com base em nossas necessidades. Já as redes sociais e plataformas de mídia estão usando algoritmos de IA para personalizar feeds de notícias, recomendar amigos e conteúdo, e até mesmo detectar comportamentos como cyberbullying e discurso de ódio.

A inteligência artificial também está automatizando processos em diversas indústrias, desde a manufatura até o setor financeiro, capacitando profissionais a tomarem decisões mais informadas, otimizando operações e até mesmo criando novas oportunidades de emprego em campos como ciência de dados e desenvolvimento de IA.


​“É crucial que avancemos com responsabilidade, garantindo que a IA seja desenvolvida e aplicada de maneira ética e inclusiva, considerando sempre seus impactos sociais e éticos. Ao fazer isso, podemos aproveitar todo o potencial da IA para criar um futuro mais justo, equitativo e orientado para o bem-estar humano”, destaca o programador e tech influencer.

Para o especialista em saúde mental e psicanalista Guilherme Bernardino, a rapidez no avanço dessa tecnologia impede a maioria das pessoas de se atualizarem, conhecerem ou mesmo se prepararem para sua utilização. “Nesse sentido, podemos afirmar que não estamos preparados para sua chegada e nem para o seu uso”, afirma o especialista. “Mas, mesmo sem essa preparação prévia, hoje estamos envolvidos em diferentes circunstâncias com a IA”, ele prossegue. “Uma preparação seria necessária não apenas para a sua utilização, mas também para sabermos lidar com as suas consequências”. 

Guilherme Bernardino avalia que, nesse contexto, é importante que exista uma regulamentação para garantir a utilização ética da IA, de modo a gerar benefícios para diversos segmentos quando associada com a inteligência humana. “Temos que lembrar que a IA pode processar dados, estatísticas e análise com muita rapidez e profundidade, o que talvez uma mente humana levaria muito mais tempo. Em casos críticos, por exemplo na saúde, essa velocidade pode ser fundamental”, explica ele.

O psicanalista pontua, no entanto, que a máquina não possui aspectos chamados de “neuropsíquicos”, como a empatia, criatividade e pensamento crítico. “É exatamente aqui que entra a correlação entre a inteligência humana e a IA. Ambos têm de estar mutuamente relacionados para obtermos os melhores resultados”, diz ele. 

Para analisar essa relação entre a mente humana e a inteligência artificial, Bernardino separa a questão em dois vieses: o primeiro é o impacto da IA na saúde mental em si; já o segundo é o impacto da IA no atendimento à saúde mental. “No primeiro caso, ela entra como qualquer outra tecnologia”, diz ele. “É preciso cautela e equilíbrio no seu uso, pois ela pode abrir brechas para diversos outros problemas, como perda da privacidade, vícios, estresse psicológico, ansiedade, entre outros”.

​Em relação ao segundo viés, o do atendimento para questões de saúde mental, Guilherme Bernardino vê oportunidades, mas também riscos. “Hoje já existem programas feitos para conversar com o paciente e auxiliar na psicoterapia”, conta. “No entanto, a máquina é programada por alguém. Logo, há um mediador entre o psicólogo e o paciente. Aqui, novamente, entra a questão ética. Não podemos refutar totalmente a tecnologia, mas precisamos de critérios rigorosos para garantir que ela traga benefícios para o usuário”.

​Em linhas gerais, de acordo com o psicanalista, precisamos ter atenção ao tema e não subestimar a IA. “É preciso estar preparado, conhecer melhor essa tecnologia, e acima de tudo ter consciência sobre a importância do cuidado, do equilíbrio e da ética no seu uso”, diz ele. “Toda tecnologia deve colaborar para o bem estar pessoal e a IA não deve ser diferente. Não podemos negar a sua importância, mas temos que nos precaver para minimizar os impactos negativos que a mesma poderá também ocasionar.”

Thiago Michelasi

Thiago Michelasi é jornalista, assessor de imprensa e apresentador de TV. Atualmente é CEO do Tô Na Fama!, portal parceiro de conteúdo do IG e apresentador do Programa Tô Na Fama! em afiliadas da Rede TV!. Além disso é colunista no Cartão de Visita do R7, no IG Gente, no Meia Hora e de diversos outros portais além de já ter sido colunista também no Observatório dos Famosos do UOL. Siga Thiago Michelasi no Instagram: instagram.com/thiagomichelasi

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo