NoticiasSaúde

Ao usar banheiro público em festivais, é importante cuidar da saúde íntima, alerta a médica Janine Araújo

Dra. Janine Araújo explica os cuidados que devem ser tomados por mulheres para evitar alterações na região íntima durante e após festas grandes, com banheiros públicos

Durante os dias 24, 25 e 26 de março acontece em São Paulo o Lollapalooza, um dos maiores festivais de música do país. Em 2022, o público dos três dias do festival foi de 302 mil pessoas. Para 2023, a expectativa é que 100 mil pessoas por dia passem pelo o Autódromo de Interlagos durante o evento.

A festa disponibilizará banheiros públicos aos que irão curtir os shows. Diante disso, é importante ter atenção para evitar as chances de proliferação de fungos e bactérias na região íntima feminina, alerta a Dra. Janine Araújo. A médica reforça que alguns cuidados não devem ser deixados de lado, mesmo nos dias de curtição. Assim, é possível evitar problemas posteriores ao festival.

“Durante as festas sabemos que o acesso aos banheiros se torna mais restrito. A recomendação é evitar sentar no vaso sanitário, e sempre levar consigo álcool em gel e papel higiênico para realizar a assepsia da genitália e das mãos, como prevenção de diversos tipos de infecções na região íntima”, aconselhou.

Os cuidados com as roupas também são necessários. É recomendável o uso de peças mais largas, e que não abafem a região íntima. Caso as roupas íntimas sejam molhadas, o indicado pela Dra. é que sejam trocadas o mais rápido possível.

“Tanto por suor, quanto por água, a umidade é um dos fatores que propiciam a proliferação de fungos e aumentam as chances de um quadro de candidíase, por exemplo. O mais indicado para essa situação é sempre retirar a vestimenta molhada, realizar a higienização da região genital e trocar a roupa íntima por uma limpa e seca”, disse.

“Esse mesmo cuidado se estende para roupas justas e apertadas. É recomendado que as peças íntimas sejam de tecidos leves, como o algodão, que permite uma maior ventilação local”, acrescentou.

Outro ponto importante citado pela médica é a prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs). O uso do preservativo é indispensável, pois evita contaminação por sífilis, HPV, gonorreia, entre outras. O ideal é levar sempre preservativos na bolsa.

“Mesmo que você use algum método contraceptivo, como pílulas anticoncepcionais, injeções ou DIU, o preservativo é o único método que protege contra a contaminação por Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTS). Invista na proteção; não espere a doença”, concluiu.

Gabriella Vivere

Gabriella Vivere, tem em seu currículo um vasto conhecimento tanto na comunicação, quanto em gestão de empresas. Além de jornalista, em seus mais de 15 anos de experiência em conectar pessoas e empresas, ela também é especialista em vendas, grandes marcas, commodities e mercado internacional. A paixão por comunicação surgiu após trabalhar em uma agência multinacional de notícias. Seu talento e expertise com novos negócios lhe deram visão para ampliar suas conexões e experiências profissionais. Assim, abriu sua própria agência de comunicação, assessoria de imprensa e marketing, a Vivere Press, onde acompanha de perto todos os processos.
Botão Voltar ao topo