Coluna Rodrigo Teixeira

Chef Maria Victoria Oliveira lança livro de contos

Maria Victoria de Oliveira foi sócia do Montagu por décadas, depois assumiu todas as operações do Hotel Marina, coordenou escolas de gastronomia


A chef Maria Victoria de Oliveira foi sócia do Montagu por décadas, depois assumiu todas as operações do Hotel Marina, coordenou escolas de gastronomia, fez dezenas de consultoria dentro de fora do Rio , mas sempre teve muito talento com a literatura. Quando encerrou seu ciclo com a cozinha, resolveu se dedicar 100% ao mundo da escrita, escrevendo, estudando e agora, no dia 24 ela lança seu primeiro livro Vestido Vermelho, no restaurante (claro) Fresh & Good, em Ipanema, às 19h. A apresentação do livro de contos e crônicas tem apresentação e chancela de Luciana Froes.

“Sou filha de um professor. Meu pai amava as letras. Dizia que a maior força de um homem estava em sua capacidade de raciocinar e organizar suas ideias. Para tanto, era preciso conhecer as palavras, dominar o idioma. Foi um leitor voraz. Leu até o último dia de sua vida. Cresci no meio de livros. Minha infância foi povoada por contos de fada, fábulas e histórias maravilhosas. Fui amiga de Pedrinho e Narizinho, brinquei com a Emília e com o Visconde. Viajei pelo Brasil, pelo mundo, e até mesmo por outras galáxias. Apaixonei-me por Tom Sawyer, meu primeiro canalha, aos nove anos. Sofri com as desventuras de Oliver, comovi-me com David Copperfield, e, mais tarde, na adolescência, fui assombrada pelo Morro dos Ventos Uivantes, e deixei-me impressionar pelo amor estoico de Jane Eyre. Tantos livros…”, afirma a chef.


“Afinal, nunca fui presa aos conceitos e dogmas profissionais. Distraída, “esquisita”, sempre fui. Permito-me agora dar vazão à imaginação inquieta, que me sussurra as histórias daqueles tempos, esquecidas até então, que resolvi contar para vocês, completa a autora.


Vestido Vermelho, é um apanhado de contos e crônicas, onde há referências a minha trajetória na cozinha, minha visão do mundo, lembranças de infância, reflexões, fantasias. “Em resumo: as historinhas ouvidas nas noites em que era ainda uma menina, nas noites mal dormidas dos primeiros tempos de maternidade, nas noites tristes, alegres, nas noites em que chegava cansada dos eventos e da correria do restaurante. As noites de minha vida”, finaliza.

Rodrigo Teixeira

Repórter com mais de 13 anos de carreira. Formado em jornalismo pela Estácio de Sá e pós graduado em Metodologia do Ensino Superior pela Escola do Legislativo do Estado do Rio de Janeiro (Elerj). Com experiência em diversos segmentos do jornalismo, entre eles, no meio corporativo, artístico, e no poder público. Com passagem pelas redações dos maiores portais de internet do país, inclusive á produziu conteúdo para o portal iG. Experiência de gestão, redação e projetos especiais para o on-line dos Jornais O Dia e Meia Hora. Web Repórter da Rede TV, na sucursal do Rio de Janeiro e correspondente do programa "Tô na Fama", da Rede TV do Tocantins.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo