Business

Brasil e Portugal firmam acordo de cooperação para incentivar startups e pequenas empresas; relações econômicas são fortalecidas

O empresário Marcos Alexandre comenta a importância do acordo entre Brasil e Portugal para startups e pequenas empresas

Na última segunda-feira (24), Brasil e Portugal avançaram em sua cooperação econômica ao firmarem um acordo para estimular o crescimento de startups e pequenas empresas nos dois países. A parceria tem como propósito aprimorar a troca de experiências e conhecimentos entre empreendedores brasileiros e portugueses. Além disso, oferece apoio financeiro e técnico para o desenvolvimento de negócios inovadores. A medida busca estreitar ainda mais os laços entre as nações e impulsionar o setor empreendedor em ambos os países.

O empresário brasileiro Marcos Alexandre, que tem experiência em startups e negócios digitais, comentou sobre a importância desse acordo para o fortalecimento da economia de ambos os países e o incentivo ao empreendedorismo.

“O acordo beneficia ambos os países e, por trazer ganhos para os dois lados, é positivo. O Brasil, por meio da Embraer, por exemplo, tem investido milhões em empresas portuguesas. Como uma das contrapartidas, vendendo para Portugal milhões em aviões, o que gera movimentação financeira em ambas as economias e mais empregos”, comentou.

“Tem sido criados ambientes de conexão para que startups e pequenas empresas compartilhem entre si suas práticas e conhecimentos, assim, se abrem para o mundo com mais vigor em suas operações”, completou.

Além disso, o empresário conta quais são os benefícios existentes nesse acordo. Ele destaca que a aliança traz segurança jurídica para as partes envolvidas, além de possibilitar o acesso a novos mercados e oportunidades de negócios.

“Expandir a mente e o universo dos empreendedores, principalmente dos brasileiros que podem acessar o mercado europeu a partir de um país da mesma língua, é uma grande porta de entrada para o mundo”, afirmou.

“Muitos realizam o sonho do seu próprio negócio e, talvez, não imaginariam uma possibilidade de internacionalização. O acordo cria esses ambientes de oportunidades, potencializa o equity dessas startups, tanto pela expansão para novos mercados, ou simplesmente por estarem abertas a novas tecnologias, cultura de inovação e gestão. Outro fator relevante é a possibilidade de atrair investidores internacionais e não estarem restritas a VCs nacionais”, acrescentou.

Com esse negócio, Marcos recomenda para os brasileiros que façam o máximo de conexões possíveis de acordo com a estratégia que a empresa queira seguir, sempre em busca de conhecimento, ferramentas e investimentos. No final, essas relações podem melhorar e ampliar a visão de planejamento das firmas.

Gabriella Vivere

Gabriella Vivere, tem em seu currículo um vasto conhecimento tanto na comunicação, quanto em gestão de empresas. Além de jornalista, em seus mais de 15 anos de experiência em conectar pessoas e empresas, ela também é especialista em vendas, grandes marcas, commodities e mercado internacional. A paixão por comunicação surgiu após trabalhar em uma agência multinacional de notícias. Seu talento e expertise com novos negócios lhe deram visão para ampliar suas conexões e experiências profissionais. Assim, abriu sua própria agência de comunicação, assessoria de imprensa e marketing, a Vivere Press, onde acompanha de perto todos os processos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo