FamososMúsicaNoticias

Dr. Neto Scardovelli fala sobre possíveis causas da morte de Lisa Marie Presley

Após a morte de Lisa Marie Presley, 54, filha do astro Elvis Presley, nesta quinta-feira (12) – nos Estados Unidos – quando sofreu um infarto, muitas pessoas podem se perguntar sobre os motivos que podem levam uma pessoa jovem a óbito. Além de fatores genéticos, algumas práticas também podem diminuir o tempo de vida dos indivíduos.

Segundo o Dr. Neto Scardovelli, médico e sócio do Instituto da dor BC, alguns hábitos podem diminuir o tempo de vida de um paciente. De acordo com ele, entre os principais está a má alimentação e o sedentarismo.

“É cada vez mais comum a gente ouvir notícias de pessoas jovens que morreram vítimas de um AVC (acidente vascular cerebral) e infarto; mas a grande pergunta é: Por quê? Primeiro é importante falar dos fatores de riscos que algumas práticas aceleram a morte como, por exemplo, os hábitos alimentares ruins, a falta de atividade física e o tabagismo, que agridem bastante o organismo”, contou.

O médico também diz que, caso a compositora não tenha tido uma boa qualidade do sono ao longo da vida, comum na rotina de muita gente, isso pode estar entre os fatores que provocaram a parada do coração. “É claro que é preciso cumprir com as atividades profissionais, mas também é importante ponderar isso pensando em não impactar na qualidade do sono. Além disso, se preparar, deixando de usar dispositivos eletrônicos próximo do horário de dormir e manter um ambiente tranquilo antes de descansar, também são ações que precisam ser feitas por quem quer viver mais, pois um sono de qualidade permite uma melhor recuperação do corpo”, disse.

Por fim, o especialista disse que a dependência química enfrentada por Lisa também pode ter influenciado na morte prematura da artista.

“Todos as drogas consideradas ilícitas, tendo como ator principal a cocaína, podem trazer transtornos cardíacos desde simples elevações da pressão arterial até arritmias graves com parada cardíaca, infarto e destruição das células cardíacas. Essas substâncias podem levar à oclusão das artérias coronárias. Isso se dá principalmente por uma forte constrição dos vasos, aumenta o consumo de oxigênio por parte das células cardíacas, causar arritmias levando ao infarto e, muitas vezes, à parada cardíaca”, completou o médico.

Veja também:

Gabriella Vivere

Gabriella Vivere, tem em seu currículo um vasto conhecimento tanto na comunicação, quanto em gestão de empresas. Além de jornalista, em seus mais de 15 anos de experiência em conectar pessoas e empresas, ela também é especialista em vendas, grandes marcas, commodities e mercado internacional. A paixão por comunicação surgiu após trabalhar em uma agência multinacional de notícias. Seu talento e expertise com novos negócios lhe deram visão para ampliar suas conexões e experiências profissionais. Assim, abriu sua própria agência de comunicação, assessoria de imprensa e marketing, a Vivere Press, onde acompanha de perto todos os processos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo